22 de abr de 2019

PONTOS A PONDERAR

01.
LAVA-TOGA É PIZZA PRONTA

Só quem ainda acredita, por esperteza ou tolice, nesse Congresso que aí está, pode acreditar que a CPI da Lava-Toga termine de outra maneira mais saudável do que a mesma velha e intragável pizza. 

Da mesma forma se dá com relação à reforma previdenciária, ou quaisquer reformas que passem pelas mãos dessa terrível safra de imprestáveis congressistas. Feita por essa pandilha, toda mudança, ainda que seja para o bem, será sempre muito pior.

02.
IMPOSTO DE RENDA
Os contribuintes têm prazo até o dia 30 para entregar sua declaração de rendimentos. Por favor, avisem ao Gilmuar e sua Guiomuar. Eles são meio esquecidinhos.

03.
PODER DE EFETIVIDADE

Sinceridade?!? Eu gostaria que os governos que temos tido tivessem o poder de efetividade de uma greve de caminhoneiros. Boto fé também numa greve-geral de lixeiros. 

Com essa força a favor da sociedade que paga todas as contas, o recesso do Congresso Nacional poderia ser transformado em férias não-remuneradas de 365 dias por ano.

04.
LAVA-JATANDO A MILÍCIA
Já passou da hora de higienizarem o STF lava-jatando a milícia suprema. Só a milícia. Os outros seis podem esperar, basta que continuem lavando as mãos e escovando os dentes.

05.
POLITICAMENTE INCORRETO
A Confederação Israelita do Brasil anuncia que vai processar Ciro Gomes, o conhecido falastrão politicamente incorreto. Ah, deve ser por 'judiaria'.

06.
PREVIDÊNCIA

A CCJ - Comissão de Constituição e Justiça volta a discutir parecer do relator nesta terça-feira. Que colosso. Depois disso, entre mortos e feridos, estaremos todos salvos. 

Enquanto isso, o custo de cada um dos nosso honoráveis 81 senadores já ultrapassa R$ 2 milhões, por ano. Já o gasto anual de se manter um deputado federal é mais modesto: varia entre R$ 1,4 milhão e R$ 1,6 milhão.

07.
BARNABÉS VOCACIONADOS
O governo Bolsonaro enfrenta resistência dos ministérios com o plano de privatização. Que novidade: nada mais justo, nobre e elogiável do que o irresistível apelo vocacional do brasileiro pela prestação de serviço público. Nada nesse país de trabalhadores como ser barnabé.

08.
PETROBRÁS CULTURAL, O POÇO SEM FUNDO 

Bolsonaro, o Pai do Twitter, tuitou neste domingo que determinou a revisão de contratos da Petrobras de patrocínio à cultura. 
A partir de agora, contratos ainda vigentes dessa farra que começou em 2003, quando Lula subiu a rampa, podem sofrer cortes. Bolsonaro com essa revisão do destino do dinheiro da Petrobras ligado à cultura começa a cumprir uma de suas promessas de campanha. O objetivo da ordem é “saber o que fazer com bilhões da população brasileira”.
SCRIPTUM POST - O programa da  Petrobras tem contratos correndo frouxos por aí que somam R$ 3,5 bilhões até 2021. A ideia de Bolsonaro é repassar essa verba para a educação infantil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário