15 de mai de 2017

O PT DE LULA E SUA ESTRATÉGIA
DE COALIZÃO PELA GOVERNABILIDADE

Então, no primeiro dia de 203 quando subiu a rampa pela primeira vez, Lula deu o primeiro passo da longa caminhada de 13 anos e tanto pelas trilhas da “estratégia da coalizão pela governabilidade”. Ia tudo muito bem até que no caminho tinha uma pedra; tinha uma pedra no caminho: a Operação Lava-Jato. E lá se vai a estratégia de coalizão descendo a ladeira. Ainda é uma menina da ladeira; logo será a que sumiu na ribanceira. Essa tal malévola e perniciosa ‘estratégia de coalizão’ me instiga a enumerar alguns pontos a ponderar. E porque hoje é sábado, eu me ponho a ponderar:

01.Um governo montou-se na sociedade; o caráter desmontou-se na coalizão;
02. Como ‘coalizão’ entendeu-se lulaticamente ‘cumplicidade’;
03. Ficou combinado: eu confio em você e você confia em mim. Mas nada impede que logo ali sejamos delatores;
04. O segredo, a lealdade, são a força e a fraqueza da coalizão. Fazem de dois companheiros um só companheiro. Até que um resolve ser só ele;
05. A coalizão obedece a um só comando... por vez. Na próxima, o outro é quem manda;
06. Para os canalhocratas a coalizão com o PT foi um bom casamento, até que começaram a cometer adultério;
07. A estratégia da coalizão implantada por Lula foi tida como uma loteria em que todos queriam ganhar sempre;
08. A coalizão pela governabilidade foi o jeito bonito e dissimulado de Lula botar o PT como cúmplice e coautor;
09. As mentiras de um companheiro eram uma espécie de homenagem ao talento para traçar rotas de fuga. Depois da Lava-Jato viraram insulto e perspectiva de sol quadrado.

10. O diabo é que o PT só agora entende a estratégia de coalizão pela governabilidade do Lula: é uma coisa estranha, delinquente, maléfica, perniciosa... Mas Lula, o PT e seus sócios não sabem fazer nada melhor.