4 de abr de 2019

PONTOS A PONDERAR

01.
BARRACO PARLAMENTAR:
PAULO GUEDES SÓ MOSTROU A COBRA

Que acabaria em barraco, a gente já sabia. Imagine só o que é uma Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e na Câmara, com aquela pandilha de sevandijas de gravata e salto alto. É aquilo que a gente viu. E mais não digo dos tapas e beijos, porque não sou comentarista de artes marciais.

O que me deixa frustrado é que eles ficam só no bate-boca e não partem para os bofetões. Eu torceria para que todos acertassem todos os bofetões em todos e vice-versa. Mas, dá sempre nas mesmas: bulhufas. 

02.
DESVIANDO PARA A PAUTA

Das muitas coisas que quase disse no barraco da CCJ na Câmara ontem, Paulo Guedes alegou uma vez mais que ''o governo gastou no ano passado dez vezes mais com a Previdência do que gastou com a Educação".

E mostrou a cobra: "no ano passado foram gastos mais de R$ 700 milhões com a Previdência e R$ 70 milhões com a Educação".

Tá, mostrou a cobra, mas escondeu o pau: acontece que a Previdência arrecadou no ano passado mais de R$ 550 milhões dos brasileiros pagadores compulsórios das coisas previdenciárias e a Educação não abocanhou um, digamos, um puro tostão.

Então o placar ficou assim Previdência 150 x 70 Educação. Isso não é 10 vezes mais nem aqui nem em Caixa Prego. É o dobro. Não mais que duas vezes e nem tanto dez, como exagerou Paulo Guedes.

De tudo isso, resta lamentar que o governo Bolsonaro tenha priorizado a reforma da Previdência ao invés de emplacar logo o pacote anticrime do Sérgio Moro. Pelo menos bem mais que a maioria pra lá de absoluta desses lheguelhés já estaria na cadeia. 

Reforma, qualquer reforma feita por essa pandilha de barraqueiros que aí está, não vai levar o Brasil a lugar nenhum.

Ah, sim... Lamento de verdade, sinto muito que tenham ficado no bate-boca e não tenham ido às vias de fato e que todo mundo acertasse um tabefe nos dentes de todo mundo. Ver aquele monte de terceira dentição espalhada pelo chão... isso não teria preço.

03.
EMPÁFIA E COLOSSO
A empáfia da maioria esmagadora dos ministreis do Supremo e tanta e tamanha que qualquer julgamento naquela Corte toma foros de Juízo Final. 

04.
LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Liberdade de expressão não é liberalidade de manifestação. Não comporta má educação. Aqui, quase sempre, opinião é uma ideia que a gente teve e não realizou. Comporta controvérsias, jamais estupidez. Não cometo nenhuma estupidez quando bloqueio um estúpido.

05.
GOVERNOS
Os tempos do PT no poder foram tão ruins que por mais que este governo se esforce, não tem como ser pior.

06.
HONRADEZ
Nesse Congresso Nacional, hombridade é quando o parlamentar suspeito dá de ombros.

07.
JUÍZO
Gilmuar age sempre como se o Supremo Tribunal fosse o Juízo Final.

08.
INVESTIDOS DE PODER
No reino do Supremo todo ministro é um rei. Ali, o poderoso rei nunca está nu. Está sempre investido demais.


09.
POLITIQUICE
Se não me perguntarem o que é Direita e o que é Esquerda, eu sei de cor e salteado. Se me perguntarem, eu não sei nem quero saber. Esse tipo de politiquice me cansa.

10.
REFORMA DIVINAL
Paulo Guedes trata a reforma da Previdência como se fosse o milagre brasileiro. Para ele é a reforma da Divina Providência.

11.
SÃO TANTAS EMOÇÕES

Pois, Maria do Rosário , aquela que abomina o estado policialesco que lhe dá na telha, mandou a Polícia Legislativa ''reter''  Daniella Consentino, assessora de Paulo Guedes.

Quando Daniella saiu em defesa de Guedes num barraco entre o emissário do Presidente e a parlamentar, Maria do Rosário quis saber quem era a protetora de Guedes. 

Como Daniella não apresentou suas credenciais, Maria do Rosário, sentindo-se ''a'' poderosa deu ordem para que a polícia a levasse do local. Bem-mandados, os guarda-costas tiraram a assessora de Guedes da sala. Pronto, Maria do Rosário é o Lewandowski de saia na Casa do Povo.

12.
RESUMINHO
A presença de Paulo Guedes na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, para detalhar a reforma da Previdência, não deu em nada. A não ser o belo barraco. A culpa da frustrada tentativa de acelerar a reforma foi a desarticulação total da base governista que fez ressurgir das cinzas a velha tropa de choque do PT e seus satélites de somenos importância.

12.
RASTEIRA

Vice-líder do governo na Câmara, o evangelical Marco Feliciano, queimou o filme do general Mourão para os jornalistas que cobrem o Poder: 

“Ele está sentido o cheiro do poder, o gosto do poder, e ele então começa a minar a autoridade presidencial”… Feliciano falou até que Mourão pode dar “uma rasteira” em Jair Bolsonaro.

Quem tem amigos assim como esse Marco Feliciano. não precisa de inimigo. No lugar do Bolsonaro, eu faria de tudo para estreitar essa inimizade.

13.
QUEM SAI AOS SEUS

Zeca Dirceu, foi o pai em pessoa, ao provocar Paulo Guedes para colocá-lo fora de foco. Chamou o convidado da CCJ de ''tchutchuca'' e ouviu, fora dos microfones: "tchutchuca é a mãe!". Zeca não deu bola. 

Vai ver quem nem sabe a que mãe Guedes se referia; ou nem sabe quem é a mãe. Em todo caso, como sempre me dizia Dona Evalda, minha mãe, ''quem sai aos seus não degenera''.

Nenhum comentário:

Postar um comentário