2 de abr de 2019

PONTOS A PONDERAR

LULA CONTINUA EM CANA, POR ENQUANTO.


Vamos combinar: nem tudo está perdido. Essa coisa do Fichtner foi só para espezinhar a Lava-Jato e devolver mais um delinquente ao seio bondoso da sociedade. Atendendo a pungente pedido da OAB, uma vez mais a Supremacia Absoluta se revela dadivosa e altaneira:  adiou a decisão sobre um pedido de Eduardo Cunha para reduzir sua pena, no caso da compra de um campo de petróleo no Benin pela Petrobras.

O ex-deputado, outrora dono da Câmara quer porque quer eliminar a condenação por lavagem de dinheiro, alegando que o recebimento de dinheiro no exterior seria apenas a consumação do crime de corrupção. 

Isso reduziria sua pena em 5 anos e logo logo ele estaria curtindo o doce aconchego de uma bela e confortável prisão domiciliar.

O mesmo argumento é tentado pelo Clube de Advogados Graciosos de Lula no recurso apresentado ao STJ contra a condenação do mais rico pobre perseguido político da História da Humanidade no processo do triplex.

Não é por nada, não... Mas vai que cola. Lula teria sua pena encurtada e sairia lépido e faceiro pela porta da frente da carceragem da PF, em Curitiba, rumo aos seu sítio alternativo, o Los Fubangos - uma área rural de 25 mil m², às margens da represa Billings, em São Paulo. ''comprada'' por Dona Marisa Letícia, seis meses antes de morrer.

Hoje, a Segundona do STF gastou saliva e todo o tempo da sessão no julgamento que acabou por mandar soltar Régis Fichtner, deixando a decisão sobre Cunha para uma data futura, ainda não resolvida. 

Lula vai ter que esperar sentado na cela estrelada que a Lava-Jato lhe destinou. Ele acha que fica só até o dia 10 de abril, quando a falange do mal que acabar com a prisão em segunda instância.

SCRIPTUM POST - Ah, sim... Também ficou para depois a decisão sobre o recebimento da denúncia contra o quadrilhão do PP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário