27 de mai de 2018

LULA LIVRE, SERIA HOJE UM CAMINHONEIRO

Lula livre, hoje, seria um caminhoneiro. Teria agitado a bandeiras vermelhas despregadas essa bolostroca de paralisação que acabou virando greve sem baderna. 

Lulistra - O Herói Caminhoneiro, já estaria dirigindo uma carreta autopropulsante à frente de mais uma "Caravana de Lula pelo Brasil". 

Ou, quem sabe até, liderando uma frota de 11 caminhões de mudança, rumo ao sitio que é de Atibaia, não é de ninguém e só serve mesmo como depósito, para armazenamento de tralhas eventuais e fortuitas. Fortutas e não furtadas, pô.

É que depois que dirigiu a República dos Calamares, Lula se anima a dirigir qualquer coisa, até mesmo o caminhão multieixo de um amigo, sem placa, posto que as leis de trânsito, como as demais, não foram feitas para ele. Sem placa, o caminhão, não o amigo.

Com a carta de habilitação vencida, ultrapassaria lépido e faceiro todo e qualquer sinal vermelho. Em caso de batida, optaria por uma caipiroska de Stolichnaya que beber é pra quem sabe e muito mais para quem pode. Inda mais que a bebericagem teria um toque bolivariano pra lá de comunista, pô.

Lula livre, hoje, acabaria voltando para a carceragem da República de Curitiba, mais uma vez como vítima da perseguição política da Lava-Jato:  os meganhas de Moro inventariam de parar seu caminhão a poucos metros da fronteira com o Uruguai, quanto já estaria avistando su amigo, hermano y camarada, Pepe Mujica. 

E com requintes de mesóclise temerária e persecutória, aplicar-lhe-iam o teste de bafômetro. Lula não resistiria, por supuesto y sin embargo.

RODAPÉ - Nada de estranho em ter-se Lula dirigindo um caminhão nessa greve de caminhoneiros. Afinal, ele foi o precursor desse movimento quando aventurou-se a desbravar o país de cabo a rabo com a sua quase solitária "Caravana de Lula pelo Brasil".

Nenhum comentário:

Postar um comentário