3 de mai de 2019

PONTOS A PONDERAR

01.
#FORA#HASHTAGS
Estão aí, os Gilmuares e os Toffolis que não me deixam mentir... Os #hashtags não colam mais.

02.
CARDÁPIO ANTICRIME
Diante do Banquete dos Cardeais da República, me dá uma vontade de ser corruptor. Quero corromper o Chef de Cuisine do STF.

03.
O SUBALTERNO
Das democracias que proliferam por esse mundos que não se chama Raimundo, só no Brasil o presidente da República com mais de 55 milhões de eleitores é subalterno ao presidente de um tribunal que não tem um voto sequer. Nem mesmo de confiança. 

04.
O EXCELSO CONCORRENTE

Quando um ministro qualquer dos 11 que constituem o Supremo Tribunal Federal tem o voto de minerva e decide pelo bem ou pelo mal que lhe vai na alma mais honesta que a do Lula, ele vale mais do que os 210 milhões de habitantes dessa pátria, amada, Brasil! 

Isso já nem é excesso de poder; é poder excelso. Acho difícil que aconteça, mas se um magnífico desses um dia bate as botas, não vai ter lugar no céu. Mesmo com a sua infinita bondade, Deus não vai querer concorrência.

05.
SIMPLES ASSIM...
Tá somos todos Moro até debaixo d'água. Mas os muito mais de 300 picaretas não o são. E o Brasil é a gente, ou eles?!? Se fosse a gente, o Brasil não seria o que é. Talvez o Brasil seja eles, porque somos nós que não somos o Brasil. Simples assim. Ou não... E dê-lhe que te dê-lhe hashtags.

06.
HASHTAG & PELÉ
Tenho a impressão de que o hashtag provoca no pessoal das redes sociais a mesma sensação de poder e grandeza que eu tinha quando via o velho Santos da Vila Famosa jogar e me colocava no lugar de Pelé. Como eu jogava bola. Cheguei a fazer 1.282 gols, um a mais que o velho Rei do Futebol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário