3 de jul de 2018

QUANDO SETEMBRO VIER...
O Perfil de um cara larga para um Brasil sem vergonha na cara.



O ilustre deslustrado DiasToffoli, mais precisamente Zé Totonho Dias Toffoli, advogado feito jurista a pau e corda, senta-se na cadeira de espaldar mais alto da ainda mais alta Corte de Justiça do Brasil Jaburu da Silva. E eis de quem se trata:

Nascido em 1967, em Marília-SP, tem hoje 51 anos... 51 e se acha uma boa ideia! Um dia, isso foi em 1990, fez-se advogado, sem disto passar, por notória insuficiência de saber jurídico, detalhe que o levou a tomar bomba em tantos concursos para juiz de direito quantos tenham sido suas inúteis tentativas.


Foi, no entanto, por extrema ou suprema unção, advogado-geral da União no transcurso do malvisto governo Lula que o herdou por um tempo com o título honorífico de ministro e presidente - vejam só! - do Tribunal Superior Eleitoral.

Segundo os historiadores contemporâneos, Zé Totonho graduou-se bacharel pela Faculdade de Direito de São Paulo. Aí foi professor colaborador - ele adora 'colaborar' - dessa mesma faculdade e passou a lecionar Direito Constitucional e Direito de Família no Ceub, Centro de Ensino Unificado de Brasília.

Seu ingresso na advocacia, um ano depois de feito bacharel, foi como consultor jurídico da CUT onde ficou de 1993 a 1994 quando eis que, por essas engendrações do destino, virou assessor parlamentar na Assembleia Legislativa de São Paulo. 
Logo em seguidinha tornou-se assessor jurídico da liderança do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados de 1995 a 2000. 
Por acaso, Zé Totonho, o imponente Dias Toffoli de hoje, atuou como advogado daquelas famosas três campanhas presidenciais de Lula, nas eleições de 1998, 2002 e 2006. 
Ele então tornou-se chefe do malcheiroso setor de assuntos jurídicos da Casa Civil da Presidência da República da Silva, de 2003 a 2005, então o lar doce lar de ninguém mais nem menos do que Zé Dirceu, o seu facínora preferido.
Em 2007, esse mesmo senhor já de aneis foi indicado por Lula para o cargo de advogado-geral da União, onde esteve acomodado até 2009 quando foi indicado pelo mesmo Lula velho de guerra para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal.
E é este notável ente supremo, sem mácula, apenas com uns lá que outros pecadilhos veniais, quem vai presidir o Supremo Tribunal Federal. 

Não me perguntem o que fazer para que isso seja apenas uma piada. Além de não saber, não estou achando graça nenhuma. 

Uma coisa eu sei que Zé Totonho vai fazer:  foderalizar de cabo a rabo e de uma vez por todas, o Brasil Jaburu da Silva. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário