5 de jul de 2018


A GRANDE CANALHICE DO STF TEM SAÍDA...
FALTA A NAÇÃO DESCRUZAR OS BRAÇOS.

A grande canalhice da Falange-2 do STF é que, além de não cumprir a decisão do plenário que consagrou a autorização de prisão após condenação em segunda instância, seus canalhocratas querem que o mesmo plenário rediscuta o que já foi discutido em 2016.


Os patifóides não se conformam com a derrota que coloca em perigo os amos e senhores do crime organizado que tomaram de assalto os três poderes constituídos.

A grande canalhice é que, se perderem de novo essa mesma questão ou quaisquer outras que cheguem a plenário, eles não se conformarão e pouco se lhes importará que a dignidade da mais alta Corte de Justiça do país vá parar embaixo da cola do cavalo do bandido.

O que dói nas costas de uma nação com mais de 206 milhões de pessoas é que a vaidade, o poder e força dos falangistas de uma turma servil e comprometida com os bandidos que os fizeram poderosos, permitam que eles não cumpram o que foi estabelecido simplesmente porque não gostaram do que foi decidido e pronto.

Antes de qualquer outra mudança, o Brasil precisa uma reforma imediata no STF que deveria começar em 1º de janeiro de 2019. Eu me animo a transformar em sugestões alguns sonhos sonhados:

01 - Mandato do ministro concomitante com o mandato do presidente da República de plantão que o indicou numa lista tríplice;

02 – Só será ministro supremo quem não tiver  atuado no Executivo e no Legislativo pelo menos 5 anos antes;

03 - Submeter-se a concurso mediante indicação pelo STF, STJ, OAB, TST, PGR, Defensoria Pública e Senado;

04 - Os indicados chegariam ao presidente da hora em forma de listra tríplice; seguiriam para sabatina no Senado e só então ocupariam o cargo no STF.

Se o presidente for reeleito, o ministro supremo por ele indicado poderá ter seu mandato no STF estendido aos oito anos de governo cumpanhero; se o tal presidente não se reeleger, o mandato do seu ungido acaba junto e solenemente, com toda a pompa e circunstância.

Nenhum comentário:

Postar um comentário