18 de abr de 2019

PONTOS A PONDERAR

01.
POLICHINELO
Quem são e o que são Dias Toffoli e Alexandre Moraes, o Brasil inteiro já sabe. Até os outros nove ministros do Supremo sabem. O que vai acontecer com eles, nem Deus sabe.

02.
CARNAVALIZANDO
Pois então, turma que sai pra rua, o que mais Dias Toffoli e Alexandre Kojak precisam aprontar para carnavalizarem mais ainda esse país de foliões domesticados?!?

03.
SAINDO DAS BRUMAS
Reforma hoje no Brasil, qualquer reforma é munição para a oposição que estava morta e sepultada sair dando seus tirinhos por aí. 

04.
DECOMPOSIÇÃO
Enquanto a composição do Congresso for de 80% de sólida corrupção e 20% de águas-mornas, o Brasil vai ser essa geleia geral e indigesta que aí está. Isso é que é decomposição parlamentar.

05.
HOLOFOTES
Agora só se fala em Toffoli e Alexandre pra lá e pra cá... Pô, o Lula já está se remoendo de inveja...

06.
ESTRATÉGIA
Tá, você já manjou tudo: o Toffoli se defende atacando.

07.
ENTREMENTES...
Dias Toffoli continua dando palestras. Para quem, sobre o que e por que, não vem ao caso. Mas não custa nada a gente saber... Opa! Custa, sim. Toffoli não dá palestras. Nem empresta. No terreno da oferta & procura, Toffoli canta de galo.

08.
O CAOS

Eles conseguiram. Instalaram o caos no Brasil. E foi sem nenhum estrondo. Foi simplesmente com uma sequência tsunâmica de rombos estrondosos. 

O Brasil é hoje uma enorme rachadura, uma fenda formidanda, uma hecatombe consentida. O epicentro é - quem diria?!? - a Constituição Cidadã de 88. 

É com ela, a Carta Magna, que os cavaleiros da calamidade detonam as leis, a justiça. a ordem e a pátria amada, Brasil.

09.
O ARQUIVO DO STF
Marco Aurélio Mello, o que não pode ficar quieto, falando sobre a balbúrdia armada por Toffoli, disse que - se chegar a plenário - "o inquérito deverá ser arquivado''. Parece bom, mas não é. O que deveria ser arquivado é esse par de vasos Toffoli/Alexandre de pouco valor sentimental. 

10.
SER E PARECER
As coisas nem sempre são tão ruins quanto parecem no terreno da Justiça aqui no Brasil. Mas, hoje, são!

Nenhum comentário:

Postar um comentário