11 de mai de 2019

MAIS DO QUE UM PODER DA REPÚBLICA, 
O CRIME ORGANIZADO É O GOVERNO

Os canalhocratas que comandam a coisa pública nesse país, nos pegaram distraídos uma vez mais. A culpa já não é deles. Não mais. A culpa agora é da nossa índole indolente. Temos preguiça e fastio de colocá-los nos seus devidos lugares.

Mas acontece que hoje já nem é mais isso, agora já não podemos mais enquadrá-los nem mesmo com a força da lei: os velhacos se organizaram e sistematizaram o modus operandi. Eles são as leis, eles são o direito e a justiça. 


Eles são o crime organizado que tomou o lugar do Estado. Os três Poderes constituídos da República, estão dominados de fio a pavio. 


Não há uma única porta de instituição pública que não tenha atrás dela pelo menos um 'operador' comissionado pelo crime que comete em nome da gratidão ao chefe de plantão que o agraciou com aquele cargo público; com aquele cargo-esconderijo, com aquela casamata estratégica para os melhores e sistemáticos golpes de suborno, lavagem de dinheiro, tráfico de influência.


A maior ameaça que paira sobre a cabeça e alma da sociedade brasileira é quando eles nos avisam que ''as instituições estão funcionando''. 

E quando a gente reage e os afronta com o tradicional "você não perde por esperar'', eles dão de ombros e debocham da nossa indignação. Sabem que quanto mais esperam... mais eles ganham.


E LA NAVE VA


Lá pelos anos 40/50 do século passado, um certo dia, cansado de ser chantageado e de pagar propina ao poder constituído, Don Corleone - il capo de tutti i capi - tomou uma decisão que instituiu a relação do crime com o governo que foi adotada pelos países mais corruptos do mundo. Chamou seus mafiosos e disse:

- Chega de corromper deputados, senadores, juízes, promotores, sindicatos, governantes... Basta!

Houve um momento de certa perplexidade. Mas o Chefe logo explicou e justificou os novos tempos:
Agora, nós também seremos deputados, senadores, juízes, promotores, donos de sindicatos e governantes.
Dito e feito. De lá para cá, o crime infiltrou-se nos poderes constituídos, nos organismos públicos e suas circunstâncias, onde se encontra até hoje gozando a maior dolce vita. 

O sistema contaminou gerações e atravessou fronteiras. Chegou ao Brasil e logo infiltrou o espírito da Máfia no corpo do Estado. E la nave va.

SCRIPTUM POST - Este texto eu o escrevi para o blog ''Sanatório da Notícia" há coisa de 15 anos, quando Lula mal subira a rampa pela primeira vez. Foi na época do lançamento amplo, gradual e irrestrito da estratégia lulática de ''coalizão pela governabilidade''. 

Faltou dizer que um dia a bandidagem italiana foi surpreendida pela Operação Mãos Limpas. A Itália foi passada a limpo. Mas o crime organizou-se uma vez mais e amoldou os organismos públicos de novo as suas feições. A máfia voltou dissimulada, portando outros nomes. Mas voltou a estabelecer que o crime compensa. 

Aqui, no Brasil Jaburu da Silva, está se dando o mesmo fenômeno. Os podres poderes estão reagindo à surpresa da Operação Lava-Jato. A ordem é cortar a cabeça da Hidra: o ministro Sérgio Moro e fazer rolar os corpos que compõem a força-tarefa do combate à corrupção e ao crime organizado - mais do que Poder, o nosso governo invisível. 

E a gente continua distraído.

Nenhum comentário:

Postar um comentário