13 de abr de 2019

PONTOS A PONDERAR

01.
SILÊNCIO RETUMBANTE
Você estranha que os barões da mídia convencional não assinalaram a improbidade de Dias Toffoli comendo bola da Odebrecht porque você ainda dá bola para essa imprensa amestrada. 

02.
MÁ REPUTAÇÃO
Não importa a notícia pura e nada simples da revista digital Crusoé, do grupo O Antagonista. O que vale é o fato, as provas provadas de que Dias Toffoli já chegou ao STF, pelas bençãos de Lula, sem a devida reputação ilibada. Não era nem para estar ali.

03.
O COVEIRO PETISTA

Que coisa mais estranha um poder da República abrir mão do seu poder. Foi o que o Senado fez ao sepultar a CPI da Lava-Toga. 

E olha que o Senado é o único caminho legal e legítimo que, pela Constituição-Cidadã de 88, resta aos brasileiros para julgar e condenar, se preciso for, qualquer membro manquitola e dissoluto dessa hoje decadente e desacreditada Magna Corte de Justiça do nosso país. 

O enterro da Lava-Toga foi consumado pelo coveiro pelo senador Rogério Carvalho, que recomendou o arquivamento da CPI na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado. Tinha quer ser do PT - aquele que sempre pega e bons serviços não nega.

04.
UMA AMEBA AMBULANTE, OU: A BARANGA ITINERANTE

Ao invés de estar presa, Dilmandioca Sapiens, A Perdulária, continua zombando dos brasileiros de boa índole. 

Viajando por esse mundão para fazer nada por ninguém ou por alguma coisa, Dilmandioca já torrou do nosso dinheiro com seus dois guarda-costas em suas viagens, a micharia de R$ 166,9 mil. 

A dinheirama se foi à la gaita em 101 diárias e 14 passagens aéreas para Nova Iorque e Sevilha, no mês de janeiro; Campinas e Porto Alegre, em fevereiro; Belo Horizonte, Brasília e São Paulo, em março. 

Então por favor não esqueçam de agradecer a Lewandowski e Renan Calheiros o deboche dessa mocreia que, ao invés de ser presa quando foi enxotada da Presidência da República saiu livre, leve, solta para ser o que sempre foi na vida: uma ameba ambulante. Hoje, uma baranga itinerante.

05.
A DITADURA VENEZUELANA

Duas coisas ainda mantém Maduro no topo da destruição da Venezuela: o respaldo de ditaduras como a russa e a chinesa - a cubana já não conta, posto que cai de podre - e o poder putrefato do grande cartel do tráfico das Américas. 

Lamente-se profundamente, mas sem derramamento de sangue, os venezuelanos não voltarão a ser livres. Eles sabem disso. Como não têm comida sua única arma é a fome de liberdade. A luta é desigual. Não se trata de um conflito: é uma descomunal e desumana covardia.





Nenhum comentário:

Postar um comentário