17 de mar de 2018

MEU DRY MARTINI


Neste sábado comum, vou revelar a vocês, doces invejosos, minha receita de Dry Martini. 

É um plágio vergonhoso do habitual Dry Martini de Winston Churchill. Mas ele não tá mais nem aí pra me censurar: 

Sempre, por volta de 11 horas de sábado, com a cabeça no almoço, eu faço assim: 

01) pego minha taça de cristal com as cores do dia; 
02) coloco duas doses graúdas de gim Seagers; 
03) cometo o pecado venial de espargir três pedras de gelo espicaçadinhas; 

04) mergulho duas azeitonas em dois palitos conflitantes entre si formando uma cruz decaída; 
05) Olho para a garrafa fechada de Martini Bianco e... pronto, estamos conversados. 

Esta é só a primeira das três doses de toda e qualquer sabatina... Tintim! Saúde! E bom apetite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário