12 de mar de 2018

CÁRMEN, UMA ÓPERA BUFA PARA TEMER

Pois é... Cármen Lúcia esteve pra lá de bem, nessa ópera bufa brasileira, quando não recebeu Sepúlveda Pertence. 

Cármen, esteve excelente ao bater a porta na cara da sedutora, fatal e quase passional Gleisi Boffmann. 

Pois é... Cármen esteve, esteve.. Esteve o quê mesmo, ao receber em casa, 'fora do script', o Temer aquele investigado pelo Caso dos Portos e amigo notívago de Joesley, 'notório bandido' no lusco-fusco do Jaburu? 

Pois, Cármen foi uma ária descompassada de Bizet. 

É que ali, no palco doméstico da dama domada, Temer falou bem o que sabe; Cármen não disse nada. Os dois não agradaram. 

Reencenaram mal e parcamente(*) num contracanto em desencanto a ópera de Bizet, cheia de moral burguesa, encharcada de hipocrisia - drama desta época que padecemos em um país em que 'as instituições estão funcionando'. 

RODAPÉ (*) - Se você quiser use "mal e porcamente"; eu até pensei, mas não quis chegar a tanto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário