5 de mar de 2018

FORO ESPECIAL E SEGUNDA INSTÂNCIA: MOEDAS DE TROCA

Uma coisa é o foro privilegiado; outra coisa é a prisão em segunda instância. Parece que uma coisa não tem nada a ver com a outra. Mas elas têm tudo a ver. 

Ambas são blindagens aos canalhocratas podres de rico e de almas honestas conspurcadas. 

Anote aí: uma vai virar moeda de troca da outra e ambas estarão protegidas pelo manto sagrado do Direito e da Justiça. 

Os 11 infalíveis e intocáveis luminares do Supremo julgarão pela Constituição: 

01) Sai de cena o foro privilegiado que é uma aberração ao preceito que diz que "todos são iguais perante a lei"; 

02) Sai de cena - como reza a mesma dita cuja Constituição - a prisão em segunda instância. 

Um comportamento salomônico da mais alta e desnecessária Corte de Justiça do País. A Justiça passa a ser então o caminho mais curto para a salvadora prescrição. Nada, como seguir à risca a letra fria da lei. Pelo menos, quando interessa. Pelo menos, não! Sempre que interessa.

JUSTIÇA EFICAZ

Se acabassem com os tribunais de procrastinação, instâncias-albergues de engazupações e embustices como a "presunção de inocência" e o mais infinito e protelador "amplo direito de defesa" - a Justiça seria muito mais ágil, muito mais eficaz nesse país... 

E muito mais que isso: a sociedade, as pessoas de bem, os homens de boa vontade, com os malfeitores presos e tementes à força da lei, voltariam a viver fora de condomínios fechados, fora de casas com grades e voltariam às ruas com a devida e merecida sensação de paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário