24 de mai de 2018

APROVEITE A OCASIÃO
Gasolina em Brasília, a R$ 9,99 o litro. 

VENEZUALIZAÇÃO

Então, Brasil de verdade, muito desprazer em conhecê-lo. Quem tirou o meu país dos trilhos que coloque agora os caminhões na estrada que eu quero ver... Eles estão todos mostrando o caminho traçado pelos péssimos governos que temos tido, desde Sarney para cá e fundamentalmente a partir dos tristes anos do PT Bolivariano no poder.

O bom dessa greve é que até agora não há um 'comando unificado' de grevistas e o governo e os canalhocratas do Congresso e do Judiciário nãon têm pelegos com os quais 'negociar'.

Michel temer pediu uma trégua de três dias, os grevistas não aceitaram e continuaram com a paralisação. 


O movimento de inação já redundoun em falta de gasolina, de gás de botijão, de remédios e outros produtos. Quando falta até remédio, aí a venezuelização vira cubanização. 


O preço dos alimentos disparou pra tudo que é lado, tudo que é altura. Os portos tiveram redução drástica do movimento e os aeroportos têm pouco estoque de combustível. Estão devagar, quase todos parando.

Nas centrais de abastecimento e nas feiras livres, alguns preços triplicaram. Apenas 60% dos sistemas de transporte coletivo urbano estão circulando. Trens, barcas e metrôs estão o functentando controlar o funcionamento para tentar diminuir os transtornos na volta para casa.   


E VOCÊ NEM SABE QUE OS CAMINHONEIROS
QUEREM O MESMO QUE NÓS QUEREMOS
A principal exigência é a queda no preço do óleo diesel: segundo os representantes dos transportadores, o custo atual do óleo torna inviável o transporte de mercadorias no país.
Hoje, um caminhão grande usa até R$ 2 mil de óleo diesel por dia. Isso, no fim do mês é um rio de dinheiro. A margem de lucro da atividade é tão baixa que hoje os caminhoneiros trabalham só para cumprir tabela, sem ganhar nada.
Para reduzir o preço do diesel, as entidades querem que o governo estabeleça uma regra para os reajustes do produto - hoje, os preços flutuam de acordo com o valor do petróleo no mercado internacional e a cotação do dólar.
Há outras reivindicações na pauta dos caminhoneiros: isenção do pagamento de pedágio dos eixos que estiverem suspensos - quando o caminhão está vazio e passa a rodar com um dos eixos fora do chão; 
aprovação do projeto de lei 528 de 2015, que cria a política de preços mínimos para o frete, e a criação de um marco regulatório para os caminhoneiros;
O caminhoneiro faz um cálculo do custo do frete, antes de partir. Hoje, o caminhoneiro às vezes chega a viajar durante cinco dias. Houve semanas em que o diesel subiu todos os dias, derrubando a estimativa de custo.
Os caminhoneiros querem o que todos nós queremos: acabar com a orgia de impostos que alimentam de forma desenfreada a máquinan pública que só trabalha para os tiranos que se apropriaram do poder, fingindo que são políticos, governantes, autoridades. Os caminhoneiros querem o fim do crime organizado que tomou o lugar do Estado brasileiro.

ELEIÇÕES 

Eu, você e todo mundo de boa índole e boa vontade, bem que poderíamos aprender a lição dos caminhoneiros e, ao invés de sair às ruas atrás de falsos arautos e movimentos sociais fajutos, pararmos de fortalecer essa bandidagem travestida de políticos e governantes. Em outubro, não reeleja ninguém.

RODAPÉ - E nem pense em dar seu voto a quem, em outros carnavais, já foi candidato a presidente dessa República. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário