25 de abr de 2018

NA SABATINA DE GILMUAR, REGINALDO DE CASTRO E SUPLICY DANÇARAM; NÓS DANÇAMOS ATÉ HOJE
Agora, no dia 8 de maio vai fazer 16 anos que o Senado recebeu um pedido de adiamento da sabatina de Gilmuar Lula Mendes para ser admitido como ministro do STF. 
O pedido foi assinado pelo hoje ex-presidente da OAB, Reginaldo de Castro.
Ele denunciava, em cima do laço, que Gilmuar não teria atuado como advogado em nenhuma ação, e isso era um requisito para ser ministro do Supremo.
Com base nesse pedido, o então senador Eduardo Suplicy solicitou 'mais tempo' para analisar o currículo de Gilmuar. Suplicy ainda lúcido, foi seguido por outros senadores. 

O presidente da Comissão de sabatina, o bailarino de Zélia Cardoso de Mello, o romântico Bernardo Cabral, atendeu o pedido de vista coletivo, adiando a sabatina para o dia 15 de maio. 

A sabatina continuou no dia 15,sem a presença do senador Suplicy e a Comissão aprovou a indicação de Gilmuar ao STF. 

MORAL DA HISTÓRIA: vai ver que o Suplicy só cantava, não sabia dançar. Quem dançou foram os brasileiros de boa vontade. Estamos dançando até hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário