23 de mar de 2018

ÓPERA BRAZÍLIS

CÁRMEN, A ÓPERA

Escutei na Jovem Pan, a Cármen Lúgubre dizendo que não se abala com as pressões. E protegeu-se com Carlos Drummond de Andrade: "Meu nome é tumulto. E ele está escrito na pedra". 

Que nada, Cármen... Teu nome é Ópera. Não a de Bizet, uma ópera bufa... Rien n'y fait, menaces ou prieres. L'un parle bien, l'autre se tait. Et c'est l'autre que je prefere. 

Trocando em miúdos: Nada ajudou, ameaças ou orações. Um fala bem, o outro é silencioso. É o outro que eu prefiro. Na verdade, não prefiro nem um, nem outro... 
Nenhum de vocês, Cármen Lúgubre. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário