25 de mar de 2019

PONTOS A PONDERAR

ANTES DE TUDO O PACOTE ANTICRIME
LOGO EM SEGUIDA A REFORMA DA CONSTITUIÇÃO


Se você não tá lembrado, dá licença de contar: deu-se a Constituição-Cidadã de 88, no dia 22 de setembro daquele glorioso ano dos ‘’óclinhos da vovó’’.

Ela foi promulgada, decretada, proclamada, declarada, expedida, publicada no dia 5 de outubro do dito cujo maravilhoso ano. Sabe lá você, por quem?!? Isso mesmo, por boa - ou má - parte dos mesmos que hoje aí estão virando o país de cabeça pra baixo, em nome da democracia de coalizão pela governabilidade.

Resultado de imagem para emendas á constituição 88Ela é tão boa – pra eles – que não sabe bem se é a sétima ou a oitava Constituição do Brasil e a sexta ou sétima Constituição brasileira em um século dessa nossa querida e benfazeja república.
Ganhou o codinome de "Constituição Cidadã", porque foi concebida com pecados veniais na gestação de um duro e complicado parto de redemocratização, iniciado de lá pra cá.
Ela é tão boa que até outubro do ano passado recebeu 104 emendas, das quais 97 foram r/emendas constitucionais ordinárias, seis r/emendas constitucionais de revisão e um tratado internacional aprovado de forma assim-assim ó, equivalente.
Quem me acompanha por aqui sabe que não estou sozinho na descrença à Constituição-Cidadã. Ela é criticada por ser muito extensa, prolixa e analítica. De minha parte acho-a também incompreensível e volúvel.
Assim, ou assado, foram essas mancadas características que a levaram a ser r/emendada tantas vezes, em processos politicamente custosos, para se adequar às mudanças da sociedade. Tantas vezes até aqui e outras tantas que ainda virão.
Essa Constituição, gente minha gentil que ainda não partiu, pariu um modelito de ‘’capitalismo de Estado’’ que só fez ampliar monopólios estatais e regulações mais pra regulagens do que nada. 
Isso aparelhou o Estado brasileiro, de tal jeito e maneira que lhe deu participação em mais de 650 empresas, mexendo e remexendo – conforme uns entendidos que andei xeretando, em mais de um terço do PIB nacional.
Foi e é esse modelito que criou e continua criando restrições para a atuação de empresas estrangeiras em diversos campos com consequências desastrosas para o crescimento da pátria, amada Brasil! E eles querem reformar a... Previdência! 
Mas que Previdência que nada! É isso, é esse modelito econômico que favorece o patrimonialismo e a nossa formidanda corrupção. 
Daí porque, antes de qualquer reforma – da Previdência, Econômica, político-partidária, do Judiciário, do escambau a quatro – é preciso uma varredura geral pelo pacote anticrime e, em seguida, com a depuração dos três Poderes constituídos, faça-se então a definitiva reforma constitucional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário