28 de mar de 2019

01.
HISTÓRIA BRASILEIRA

Quanto a festejar ou não o 31 de Março que por essas armadilhas do destino não foi Dia 1º de Abril, tanto faz como tanto fez... O problema do Brasil não é de 1964; é de janeiro de 2003 pra cá, quando Lula subiu a rampa e o Brasil desceu a ladeira.

02.
EU COMO ARROZ...

A Mídia Amestrada precisa se Jair se acostumando com instantaneidade da Mídia Virtual, ainda que nem sempre virtuosa. 

Os tradicionais deformadores de opinião, operadores das pautas determinadas pelos seus chefes-de-redação, são um poço de ansiedade e aflição para voltar a exercer a sua mais ampla liberdade de patrão.

Donos das ''notícias de ontem'' estão à beira de um ataque de nervos, diante da nova realidade da comunicação social: o que é de hoje sai agora nas redes sociais e não amanhã porque já será de ''ontem''. 

O noticiário da web mídia é o futuro no presente. Quanto à credibilidade... Bolas, a vida é a arte da escolha. No jornalismo virtual, cada um come o que gosta... Eu como arroz

01.
OS FESTEJOS DA ''REDENTORA DE 64''

Irani Silva da Luz, juíza federal da 6ª Vara Cível em Brasília, deu cinco dias de prazo para que a União e o presidente Bolsonaro se manifestassem sobre ação que tenta proibir quartéis, em caráter liminar, de festejar o aniversário de 55 anos do que a mídia amestrada chama de ''golpe de 64'' e os revolucionários de então chamam de ''A Redentora''.

Ah, qual é o pó?!? A gente não festeja até hoje o grito de independência de Dom Pedro I° às margens plácidas?!? 

Era o dia 7 de setembro de 1822, quando o então Príncipe Regente do Brasil, libertou-se com um berro atrás de uma providencial moita às margens do rio Ipiranga. Foi quando a tropa à espera da sua soltura, angustiada e afoita pensou que aquele grito de alívio se referia à pátria amada e não à falta de papel e, claro, à autonomia que seus opressores genitores lusitanos não lhe davam.

Essa coisa de comemorar isso ou aquilo; festejar aniversário; fazer passeatas cívicas e militares, ou ambas de uma só vez, depende muito do jeito de ver a vida de cada um de nós, ou de contar a vida do jeito que os historiadores contam. Ou inventam e dão como verdade consagrada.

História, minha gente amada, idolatrada, salve, salve... é uma lenda, só que muito melhor contada. E do jeito que o Brasil vem se repetindo, do jeito que os brasileiros se repetem nos brasileiros, não demora nada - apesar da cibernética - nós estaremos em plena Revolução Tecnológica, chegando triunfalmente à pré-história.

SCRIPTUM POST - Por falar nisso, você já se deu conta de que está sempre a um passo do futuro?!?

Nenhum comentário:

Postar um comentário